Benefícios do Óleo de coco na vagina e vulva: um aliado para a saúde íntima

Que o óleo de coco é um super alimento nós já sabemos, e também que ele é um aliado fabuloso para a saúde da pele e dos cabelos, mas você conhece os benefícios incríveis do uso do óleo de coco para desequilíbrios na vagina e na vulva?

Sim! Este óleo que somos apaixonados é também um grande aliado da saúde ginecológica da mulher, abaixo te mostro os principais usos documentados e comprovados da aplicação do óleo de coco na vagina. Esse texto também é resultado da minha experiência em consultório atendendo com naturóloga (ayurveda e outras terapias). Vamos lá:

 

1. Óleo de coco como Hidratante vaginal

Sua vulva também merece ser nutrida e hidratada, mas se você fizer isso com o mesmo hidratante que você usa no corpo com certeza vai causar uma irritação. O óleo de coco puro tem um ph ácido perfeito para a saúde da flora vaginal, nutre com delicadeza sem causar irritações.

 

2. Óleo de coco Protege a vagina

O óleo de coco forma uma  camada de proteção contra fungos ajudando a evitar infecções e tratando fungos perniciosos já presentes no local. Tem ação antioxidante e mantém o pH da vagina equilibrado, o que também é essencial para evitar infecções.

 

3. Óleo de coco é um Lubrificante natural vaginal

O óleo de coco além de nutrir e hidratar funciona como uma barreira protetora. Pode ser usado em casos de secura vaginal na menopausa, na pré menopausa e como lubrificante sexual. É natural e seguro ao contrário dos lubrificantes tradicionais a base de óleos minerais e causa menos irritação que um lubrificante sintético.

Importante: NÃO UTILIZE ÓLEO DE COCO COM PRESERVATIVOS DE LÁTEX NATURAL!! O óleo de coco – e os outros óleos vegetais,  quando em contato com o látex natural, reduz sua resistência podendo romper o preservativo.

4. Tratamento natural para candidíase com óleo de coco

O óleo de coco é rico em ácido caprílico e ácido láurico, ambos com potente ação antifúngica e antimicrobiana. Então,  quando se trata de combater a cândida de maneira natural ele sem dúvida o óleo de coco é destaque.

A Candidíase é uma condição que ocorre quando um crescimento excessivo de fungos de levedura  se desenvolve dentro do seu intestino e acabam migrando para a vagina  desequilibrando sua flora natural. Todos nós temos esse “bichinho”, a Candida albicans. E seu desequilíbrio é muito comum, especialmente entre mulheres. Está associado a sintomas desconfortáveis ​​como ardência, coceira e irritação na vulva e na vagina, dor durante a penetração sexual. Existe também a candidíase sistêmica, mais séria e com sintomas bem mais sérios, mas não vou abordar aqui neste texto. O fato é que o desequilíbrio sempre se inicia com uma alteração na flora intestinal provocada por uso de antibióticos com frequência e alimentação inadequada. Tem um livro muito bom que se chama “Candidíase: a praga”, da Sonia Hirsh, super recomendo!

Continuando.. sobre o  ácido caprílico ele  atua como um agente natural de combate ao fungo, acredita-se que ele pode penetrar nas membranas celulares das células de levedura da candida e fazer com que morram.

Os pesquisadores descobriram que este ácido graxo tomado por via oral reduz rapidamente os sintomas associados a infecções virais e fúngicas por cândida. Um relatório de 2001 publicado na Acupuncture and Electrotherapeutic Research descobriu que o ácido caprílico é superior em termos de eficácia, e também mais barato, do que medicamentos sintéticos para o tratamento dessas infecções.

Na minha prática de consultório por anos eu ensinei minhas pacientes a preparar os glóbulos ou “O.B” de óleo de coco para ajudar no tratamento e sintomas de por infecções fúngicas causadas pela Candida, abaixo, a receita de como fazer:

 

Receita de “O.B.” de óleo de coco para candidíase / infecções fúngicas

Ingredientes

Preparo

Em um recipiente de vidro, derreta o óleo de coco extra de baixa acidez [se precisar temos aqui]  virgem em banho maria. Acrescente o óleo essencial e misture bem. Em seguida, distribua em porções de aproximadamente 10ml na forma de gelo e leve ao freezer para endurecer por aproximadamente 1 hora.

Desenforme, guarde em um pote fechado e mantenha na geladeira. Você tem 10 dias de tratamento.

Modo de usar

À noite, antes de se deitar, introduza até o fundo da vagina um dos “cubinhos” de óleo de coco. Você pode massagear a vulva, lábios e clitóris rapidamente antes de introduzir. Seja rápida pois, dependendo da temperatura ambiente, o óleo de coco pode derreter rapidamente.

Dicas

  • Acomode uma toalha velha em baixo do seu quadril para não manchar seus lençóis
  • Use uma calcinha velha, um protetor de calcinha ou um paninho de algodão durante o tratamento.

 

Compartilhando

Parafraseando a Sônia Hirsh: “A CANDIDÍASE É UMA PRAGA”, e o tratamento para condições já crônicas é bem mais intenso e requer esforço e acompanhamento de um profissional da NUTRIÇÃO. Sim, se você quer vencer a candidíase, sugiro visitar um nutricionista e não somente um ginecologista. Como eu disse, a cândida migra do intestino para a vagina e a flora intestinal é fruto de tudo o que comemos. Essencialmente os fungos se alimentam açúcar, então mudar a dieta é fundamental para vencer esta praga, ou seja, matar o fungo de fome. Eu fiz a “dieta anti fúngica” por 2 meses, não foi muito fácil porque eu tinha uma alimentação vegetariana baseada em cereais e tive que mudar completamente meus hábitos e quebrar alguns paradigmas alimentares que estavam se arraigando. Funcionou e nunca mais tive. Hoje se sinto qualquer coceirinha o “O.B de óleo de coco” já resolve em 1-2 dias. Além da dieta anti fúngica, meu tratamento incluía tomar  uma combinação lactobacilos para reestruturar a flora intestinal, consumo de manteiga ghee e óleo de coco em quantidades maiores e intercaladas: o ghee por conter ácido butírico, substância que atua na saúde dos enterócitos intestinais, neste caso não podia ser manteiga pois na manteiga você encontra lactose e a restrição de açúcar na dieta era bem severa. E óleo de coco de baixa acidez para ter a ação anti fúngica a nível interno.

Espero que tenham gostado do texto, e abro aqui os comentários para que possamos trocar sobre o assunto.

 

Onde comprar óleo de coco extra virgem com baixa acidez e confiável?

Nós demoramos bastante pra achar um óleo bom de verdade, hoje trabalhamos com óleo é de uma fazenda da Bahia super de confiança que não usa adubação química, sem estimulantes de floração e que utiliza os próprios resíduos dos cocos como adubo e utilizam somente mão de obra justa (e pedimos uma declaração da fábrica pra nos certificarmos).

Caso precise,  você pode comprar on-line na nossa loja virtual que entregamos para todo brasil, os valores são bem justos.

Basta acessar aqui: ALIMENTOS DE COCO | Yamuna Artesanal

Se precisar de óleo de Melaleuca (Tea Tree) indicamos comprar nessa loja

Obrigado, pela leitura,

Abraço,

Daiane Bortolon

4 respostas em “Benefícios do Óleo de coco na vagina e vulva: um aliado para a saúde íntima

  • Tati

    Obrigada pelas informações, Daiane!
    Já tive problemas recorrentes pela candidíase, que começavam com infecção urinária frequente. E, por muito tempo, procurei uma ginecologista que trabalhasse com tratamentos naturais… mas não tive sorte.
    Hoje, mudei hábitos alimentares, sem carnes e com poucos alimentos industrializados e de origem animal, sempre preferindo os orgânicos de pequenos produtores. Também passei a praticar yoga há mais de dez anos. Foram mudanças importantes, mas aconteceram um passo de cada vez.
    Nunca mais tive infecção por cândida, nem as infecções urinárias!
    Quis deixar esse relato aqui, porque acredito mesmo que mudanças de hábitos são fundamentais pra resolução de problemas de saúde.
    Gostando muito do seu blog.
    Prosperidade e paz pra vocês!

    Responder
  • Lilian

    Eu passo por esse inferno constantemente.
    A última vez que atacou pensei que ia ficar louca de tanta coceira, minha nutri me indicou tomar glutamina por 6 meses .
    Agradeço pelos esclarecimentos e vou mudar algumas coisas.

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *